terça-feira, 7 de junho de 2016

A PETINGA E O TUBARÃO Chama-se petinga a uma sardinha que não chegou a crescer porque a isso não permitiu a voracidade do homem. Tal como os "jaquinzinhos", são óticas fritinhas e comem~se inteirinhas. A sardinha, como todos sabem é um peixe actino pterígeo da espécie dos clupeiformes que tem por tipo o arenque e que abunda nas águas portuguesas de norte a sul, sendo mais gostosas as do norte por mais gordas. Este peixe clupeida ( nada de confusões... )foi durante anos a fio o sustento dos portugueses pobres ( agora nem os ricos lhe chegam. A doze paus o quilo ? Chiça ), que facilitava, desde o pescador aos conserveiros, sendo as conservas portuguesas as melhores do Mundo e que pouco apouco foram desaparecendo do nosso país sendo uma tristeza ver tanta fábrica abandonada. Hoje o que há para aí são de origem espanhola ou marroquina das quais nem os gatos gostam. Sardinhas e cavalas lá as vamos comendo assadas, no princípio da época - quando estão secas p'ra burro - sobretudo quando foi provado que os nobres peixes não provocam o aumento do colesterol. A sardinha alimenta-se de plâncton de matéria vegetal quando pequenina ou de presas que caçam quando grandes. Aconselha-se a comer assadas no carvão, sobre o pão e à mão, como mandam os cânones, com uma boa salada à algarvia sem esquecer o pimento ( para quem gosta e a batata doce.. A petinga. manda a tradição como se disse, deve ser comida frita acompanhada com um arrozinho de tomate. A petinga é um peixinho humilde, consciente da sua simplicidade, e que não faz mal a ninguém, antes pelo contrário, quase sempre é abocanhada pelos espécimes de maior porte. O tubarão, mais conhecido por esqualo, é um peixe clasmobrânquio ou seláceo (quer dizer, que tem a pele cartalaginosa, dura que nem chavelhos, ) com mandíbulas que possuem numerosos dentes e que, tal como nós adoramos pernas de frango assado ou de rãs fritas ( não falando já nas outras...) e que se pela pelas pernas humanas havendo até quem lhe chame "alfaiate", - não entendo porquê ! Muito vorozes os tubarões chegam a atingir os 13 metros de comprimento e o peso de oito toneladas. São comuns no Atlântico Tropical sendo contudo frequentes visitantes dos Açores.É uma espécie de rei dos mares e que provoca o pânico quando aparece. O povo tem tanto receio que até os costuma a comparar com os políticos ou os endinheirados. ´E evidente que não foi minha intenção massacrar-vos com lições de zoologia mas piscícola, mas tão só para lembrar a considerável diferença que há entre a petinga e o tubarão, a todos os níveis. Assim, mal " acomparados", nós, o Zé Povinho, somos as petingas. Os outros, bem, os outros são os tubarões. Com a diferença que enquanto a petinga, propriamente dita. só é comida fritinha, a nós comem-nos de toda a ,maneira... ( Amanhã vem o resto )

Sem comentários:

Enviar um comentário