sexta-feira, 29 de agosto de 2014



NA DROGA – A  POSSIBILIDADE DE CURA

  “ Os drogados sabem a melhor maneira de se curarem “ .
 Um deles um dia me afirmava:  “ um viciado não tem cura absoluta. Como eu há milhares de viciados que não ficaram completamente livres do seu vício. Talvez por falta de grande força de vontade que é,  sem dúvida, o mais eficaz modo de acabar de vez.
  Por vezes o problema de uma cura num hospital reside em que p drogado é dado clinicamente curado, mas só nas suas deficiências físicas. A parte psicológica fica intocável. Uma vez em liberdade todos os seus velhos problemas a tacam de novo. Em 90 dias o organismo viu-se livre da sua necessidade premente de droga, mas naturalmente continua a ser um viciado.
   Mas quando vício atinge o chamado ponto máximo, deixar de tomar a droga sem qualquer ajuda clínica é puro suicídio. Alguns nunca conseguem nenhum resultado, sucumbem à violência dos espasmos ou “MATAM-SE PARA NÃO SOFREREM MAIS “…
  Nunca é de recusar a ajuda dos outros quando se está numa faze de recuperação pois têm-se a ideia   que se um viciado consegue vencer fisicamente os seus estados de ansiedade e a necessidade premente de droga, está salvo. Se assim fosse estaríamos livres de drogados com muita facilidade. Agarrava-mos em todos eles, metíamo-los dentro de uma sala e esperávamos que as fases piores passassem. Depois pronto, estava o assunto arrumado. O pior é que não é assim tão fácil.  Um drogado é afetado também psicologicamente. Os estupefacientes dão-lhe uma espécie de repouso psíquico que o obriga a voltar sempre ao mesmo.  Se  deixar estar um drogado no seu estado de euforia, ele não quererá outra coisa e estará completamente feliz.
   É necessário dar aos doentes uma ocupação que lhes permita uma distração constante.  Para isso, por exemplo, existem  organizações  -  pode dizer-se filantrópicas   -  criadas para esse fim, insuspeitas porque são orientadas ou sobrevivem graças ao esforço de es -drogados que sabem melhor que ninguém o que é o inferno de  “estar  lá dentro “ . São organizações que proporcionam ao utente uma vida ativa, ocupada e útil. Cabe-lhes por a sua nova casa em condições de receber os que estão para chegar. Todas as noites se reúnem para discutir entre si as verdadeiras causas dos seus vícios, entre ajudando-os  psicologicamente na luta contra o mal. 
   Dessas organizações, muitas, as que mais se destaca é sem dúvida a REMAR. Centro Cristão Gratuito de Reabilitação e Reinserção de Marginalizados, que não só se ocupa da recuperação de drogados como de indivíduos considerados à margem da sociedade, e que passam a ser membros úteis dessa mesma sociedade que muitas vezes os escorraçou comodamente instalados na sua indiferença.
   E falamos da REMAR por ser aquela  que mais de perto conhecemos e que nos oferece todas as garantias de idoneidade e de resultados bastante satisfatórios, e em relação à qual voltaremos a falar mais em pormenor com indicações de contato, condições de admissão etç,.


                                                         -  12  -

Sem comentários:

Enviar um comentário