terça-feira, 19 de agosto de 2014



 

  Cápsulas de estimulantes  -  anfetaminas  ou a dexadrina  ( que felizmente não faz parte do nosso índice terapêutico) substância muito usada lá fora e que os médicos receitam para depressões nervosas, como tónicos e até em curas de emagrecimento.
  Há 15 ou mais variedades de cápsulas de anfetaminas e tabletes que fora do nosso país se fabricam, masque por cá podem circular como muitas outras coisas… sendo todas elas conhecidas pelo nome genérico de  “ benies “. De facto foram os tais camionistas lá fora que descobriram e usam os tais estimulantes em grandes quantidades e os jovens de algum modo também as descobriram  ( ou deram a conhecer ! ) sendo o processo mais comum de distribuição pelas esquinas das descolas e em lugares em que os próprios estudantes possam alcançar com facilidade. E a distribuição é feita pelos próprios jovens que já criaram habituação e estão, portanto, metidos na rede sem DELA PODEREM SAIR.
  É de lamentar que existam casos considerados perigosos pelo uso de drogas e não sejam abrangidos pela legislação dos narcóticos mas que têm também consequências funestas.  Enquanto a venda de narcóticos é considerada como um crime grave e punido com penas de prisão que podem chegar aos quinze anos, o uso de pílulas não tem qualquer cobertura semelhante, sobretudo quando com a ratice aplicada pelos expert na matéria a elas são associados  certos compostos que dificultam a identificação. É o que se passa com o chamado  “ corte “  - adicionar outras substâncias  ( as principais causadoras de morte  ) para aumentar o volume afim de aumentar os lucros.  ( Há alguns anos atrás um amigo, bastante jovem ainda, aqui de Faro, morreu vítima duma dessas manigâncias; na autópsia, foi descoberto na análise ao sangue resíduos de pó de cimento. Alguém nos disse que para obterem esses resultados, para além do bicarbonato de sódio, etç. , até o pó que se depositava nos tabliers dos carros, rapados com o dedo, serviam para tal. Parafraseando  “ o lucro aguça o invento “ e o que manipula é o mais interessado no “corte “ porque, sendo também um viciado, precisa desesperadamente do produto e após a venda tem de sobrar algo para si. Estes sãos os mais perigosos  - os pequenos traficantes, exatamente por esse motivo.
   Por isso os estimulantes tornou-se muito vulgar porque são baratos e podem comprar-se em qualquer parte. São até mais baratos que a própria cerveja.
   E por falar em cerveja, é conveniente sublinhar a importância especialmente perigosa que há no uso da droga com álcool, principalmente estimulantes.  É a mesma sensação do que fumar, por exemplo, marijuana : os consumidores deixam de se preocupar, sentem-se eufóricos, sem inibições, com uma extraordinária pujança física e com uma leveza que que dá a ideia que a pessoa se vai tornar em vapor. Tudo engraçado, o mundo é nosso, apetece rir… e outras vezes destruir tudo o que aparece à frente.

                                                   






                                                      - 3 –

Sem comentários:

Enviar um comentário