domingo, 31 de agosto de 2014



                                   O HORROROSO MUNDO DA DROGA

                                                                                                                       Parte segunda



----  Com a devida vénia permitimo-nos
respingar de várias publicações nacionais
e do estrangeiro alguns relatos que interes-
sam à sociedade em geral.
 E a primeira que, para além de nos merecer uma admiração sem limites pelo excelente trabalho desenvolvido e pelo que de importante tem no combate ao flagelo, vem exatamente da Revista Destaque.

       &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

 Há quem diga à “ boca cheia “ que o consumo de droga só afeta ou está mais disseminado entre as classes de  menor estatuto social. O pobre, o vagabundo que vegetam no meio duma sociedade que se afasta com um olhar de repugnância quando  com eles se cruza, se pudessem  ter estampada no rosto a história do trágico percurso que os conduziu a tal estado, talvez merecessem um pouco mais de compaixão e ajuda psicológica, pelo menos. Muitos deles já mereceram o respeito e o servilismo daqueles que hoje os olham com desdém…
    Vejamos o que nos adianta aquela conceituada publicação.


                           COMO A ALTA SOCIEDADE CONSOME CADA VEZ MAIS COCAÍNA


O NETO DE UMA FIGURA IMPORTANTE DO REGIME DE SALAZAR, A FILHA DE UM ARISTOCATRA E A MULHER DE UM EMPRESÁRIO DO NORTE CONTAM COMO A COCAÍNA É USADA NAS CLASSES ALTAS. A ELITE DE LISBOA, PORTO E CASCAIS ADERE CADA VEZ MAIA ÀS FESTAS E AOS JANTARES PRIVADOS. O SUCESSO DA MAIS APETECÍVEL E MAIS CARA DAS DROGAS.                                   ( Por Micael Pereira)


         O numero do decote aconteceu já depois do prato principal .Estavam sentados à mesa do salão da anfitriã, uma artista de 48 anos de uma família tradicional de Lisboa quando ela acomodou o saco de cocaína entre os seios junto ao vestido, acenando um tubinho metálico no ar. Era a sobremesa e, apesar da proposta aparentemente inopinada e lasciva ninguém mostrou embaraço. Os amigos riam, numa ansiedade bem disposta : quem se iria servir primeiro ? A festa durou muitas horas, até de manhã, incendiada pelo efeito frenético daquele pó fino e amargo, num corrupio pelos corredores, pelos quartos – uma rotina excitante que se foi  instalando nessa casa sempre que o mesmo grupinho de 30 pessoas ao longo dos anos 90,  


                                                        -  14  -

sexta-feira, 29 de agosto de 2014



     Mas parece-nos de certa utilidade referir outras formas de contacto para os que pretendam um ajuda em relação a problemas da droga, como :

                 - LINHA  VIDA  - SOS DROGAS – Dias úteis das 10 às 24 –   Tele.1414

                 - LE PATRIARCHE – Torres Vedras  - Tele. 26123395

                 - e os C.A.T. – CENTROS DE ASSISTÊNCIA A TOXICODEPENDENTES
 Existentes em todo o país facilmente contactáveis através a linha telefónica ou pelas Informações 118.
                -  C.A.T. – Consultas 289 703753 ( Estes no que toca ao Algarve ) Como a que se nos refere mais diretamente, situado em  Olhão.
  
 Para efeitos de internamento em Centros cura e de referência, de caráter particular e pagando, existem outros. Indicamos o que tem sido o mais elegido pelos resultados  mais conseguidos :
                    - VILA VITÓRIA  -  Fânzeres,  Gondomar Tele. 22 4853909


  Posto isto, e pensando ser o nosso trabalho de alguma utilidade, é nosso dever agradecer aos vários autores de vários trabalhos, que compilamos,  ajudas da REMAR e às Brigadas de Combate Anti-Droga da P.S.P. e a todos aqueles que, alguns viciados e não tiveram receio de dar a cara bem como ex-viciados, nos forneceram elementos e informações de preciosa utilidade, mas, e principalmente, porque só “ QUEM A SENTE NA PELE SABE DAR VALOR À QUEIMADURA…
    Como dissemos, voltaremos a seguir com : entrevistas, sugestões, contactos e visitas aos meandro do mundo da droga, não esquecendo que:
             QUE A DROGA É SÍMBOLO DE MORTE DISFARÇADO DE ANJO.
             DROGA, UMA SÓ PALAVRA COM VÁRIOS SIGNIFICADOS ; DESILUSÃO
             FRUSTRAÇÃO, DEPRESSÃO, ANGÚSTIA , TRISTEZA… MORTE.-







                                                                                             
Fim da primeira parte







                                                          -  13  -                                                 


NA DROGA – A  POSSIBILIDADE DE CURA

  “ Os drogados sabem a melhor maneira de se curarem “ .
 Um deles um dia me afirmava:  “ um viciado não tem cura absoluta. Como eu há milhares de viciados que não ficaram completamente livres do seu vício. Talvez por falta de grande força de vontade que é,  sem dúvida, o mais eficaz modo de acabar de vez.
  Por vezes o problema de uma cura num hospital reside em que p drogado é dado clinicamente curado, mas só nas suas deficiências físicas. A parte psicológica fica intocável. Uma vez em liberdade todos os seus velhos problemas a tacam de novo. Em 90 dias o organismo viu-se livre da sua necessidade premente de droga, mas naturalmente continua a ser um viciado.
   Mas quando vício atinge o chamado ponto máximo, deixar de tomar a droga sem qualquer ajuda clínica é puro suicídio. Alguns nunca conseguem nenhum resultado, sucumbem à violência dos espasmos ou “MATAM-SE PARA NÃO SOFREREM MAIS “…
  Nunca é de recusar a ajuda dos outros quando se está numa faze de recuperação pois têm-se a ideia   que se um viciado consegue vencer fisicamente os seus estados de ansiedade e a necessidade premente de droga, está salvo. Se assim fosse estaríamos livres de drogados com muita facilidade. Agarrava-mos em todos eles, metíamo-los dentro de uma sala e esperávamos que as fases piores passassem. Depois pronto, estava o assunto arrumado. O pior é que não é assim tão fácil.  Um drogado é afetado também psicologicamente. Os estupefacientes dão-lhe uma espécie de repouso psíquico que o obriga a voltar sempre ao mesmo.  Se  deixar estar um drogado no seu estado de euforia, ele não quererá outra coisa e estará completamente feliz.
   É necessário dar aos doentes uma ocupação que lhes permita uma distração constante.  Para isso, por exemplo, existem  organizações  -  pode dizer-se filantrópicas   -  criadas para esse fim, insuspeitas porque são orientadas ou sobrevivem graças ao esforço de es -drogados que sabem melhor que ninguém o que é o inferno de  “estar  lá dentro “ . São organizações que proporcionam ao utente uma vida ativa, ocupada e útil. Cabe-lhes por a sua nova casa em condições de receber os que estão para chegar. Todas as noites se reúnem para discutir entre si as verdadeiras causas dos seus vícios, entre ajudando-os  psicologicamente na luta contra o mal. 
   Dessas organizações, muitas, as que mais se destaca é sem dúvida a REMAR. Centro Cristão Gratuito de Reabilitação e Reinserção de Marginalizados, que não só se ocupa da recuperação de drogados como de indivíduos considerados à margem da sociedade, e que passam a ser membros úteis dessa mesma sociedade que muitas vezes os escorraçou comodamente instalados na sua indiferença.
   E falamos da REMAR por ser aquela  que mais de perto conhecemos e que nos oferece todas as garantias de idoneidade e de resultados bastante satisfatórios, e em relação à qual voltaremos a falar mais em pormenor com indicações de contato, condições de admissão etç,.


                                                         -  12  -

quinta-feira, 28 de agosto de 2014



     Os  drogados são cuidadosos quando chega altura de se auto ajudarem, quando algum consegue chegar a uma casa de recuperação, inconscientemente decide que está melhor aí que noutro sítio . Uma vez tomada essa decisão tem de transmitir ao outros o que descobriu. “

   “ A primeira vez que se toma heroína fica-se doente. A sua ação farmacológica é muito ativa. Modifica as funções e a composição de certas células e até glândulas.
   De facto o individuo sente-se estranho mas todas as suas frustrações, ansiedades e problemas desaparecem.
   É isso afinal que ele procurava já que NÃO TINHA CORAGEM PARA LUTAR DOUTRA FORMA CONTRA AS ADVERSIDADES. Assim era tudo mais fácil. Julgam que é A PRIMEIRA E ÚLTIMA VEZ. Podem afirmar que tomar droga apenas ocasionalmente não tem problemas. Puro erro ! Pode levar nisto anos, mas quem um dia   “chipa” sempre chegará a viciado . Desde que seja um consumidor regular, o organismo fica preparado, e sempre que se queira obter o mesmo efeito, tem de tomar mais “.

   “ Cuidado com os convites para experimentar com a afirmação de garantia « de que depois se sente melhor »… O MAL  É COMEÇAR…”

    “ Uma vez viciado , um indivíduo torna-se um escravo, passa a procurar constantemente algo que possa injetar e que diminua o seu sacrifício. Para o obter será capaz de vender a própria mãe. E esta para lhe satisfazer o vício também é capaz das maiores baixezas : de colaborar com o próprio filho, de o encobrir, enganar quem quer que seja e até ROUBAR DECLARADAMENTE OS QUE ESTÃO MAIS PRÓXIMOS, convencida de que assim está a demonstrar amor de mãe. Ao invés, talvez se venham a tornar únicas responsáveis pelo fim desastrado desses filhos… O vício é uma espécie de loucura. Loucura que só é atenuada com nova dose. Entra-se
num ciclo vicioso sem saída possível.”

    Para além das já referidas há outras razões para que um indivíduo cais nas malhas da droga, como seja a maldade de alguém, por vingança, despeito e até vontade de magoar os mais chegados como os pais ou a namorada que o abandonou. ( Talvez por não concordar com a vida que vai levando… ) . Quer que eles sintam pena, comiseração, são uns perseguidos. Julgam erroneamente que assim lhes desperta mais atenção e favores.

  Um viciado pode querer convencer toda a gente durante uma semana e então arma o seu espetáculo. Mas se deixa passar mais uns dias os seus sentimentos vêm ao de cima.