quarta-feira, 10 de julho de 2013

- Digam-me : o que se chama a isto ?! Desabafos...nas férias. ALDRABICES, VIGARICES, PULHICES E, . OUTRAS COISAS MAIS ACABADAS EM ICES. .. Todos os anos, invariavelmente, por esta altura, vou de visita à minha “aldeia “ , p’ra vindima e matança do porco .Quer dizer: colher os cachos apetitosos e suco- lentos das minhas recordações, quando menino, e matar as saudades do então. . Porque a viagem é um pouco longa, e como dias não são dias - afinal ia de férias – mesmo contra vontade lá fiz das tripas coração e meti-me a disfrutar a nossa Via do Infante em parte do percurso, ou seja, só até ao desvio para a nacional.Como sabem, não sei se sabem, esta Via cobra portagem ( gatunos!) cujo pagamento só se efectua passados uns dias nos CTT. Quando vamos proceder ao referido pagamento verifica- mos até que ponto se rouba impunemente neste País.É que, para além da taxa,o que por tal sinal é das mais caras em Portugal, ainda temos de pagar uma suplementar , neste caso de 0.30 centimos, e ninguém explica o porquê. - Digam-me : o que se chama a isto ?! . Sou duma terra onde também há praias, bastantes, e consideradas das mais lindas de Portugal dada sua extraordinária envolvência luxuriante e múltiplas reentrâncias na costa como de baías naturais. Fui a uma delas “molhar os pés “e como era dia de marés vivas -como por lá dizemos quando o mar cresce até muito acima do habitual, sobretudo nas praias com pouco declive o que pode ser algo perigoso já que uma va- ga rodada, no regresso ao mar pode arrastar os mais distraídos.Entrei em considera- ções com o nadador-salvador acerca disso que muito honestamente concordou em absoluto comigo. Falámos um pouco sobre outros assuntos e fiquei a saber - PAS- MEM !- que aqueles valente e denodados rapazes, que muitas vezes arriscam a vida (não é o primeiro que lá fica ...) para salvar a de outros que por vezes nem lhes dizem obrigado, recebem de vencimento uma ninharia pelo seu trabalho.Soldo que nem dá muitas vezes para pagar uma refeição.É incrível e... vergonhoso. Mas o mais estra-nho é terem de ser os concessionários das praias a pagarem-lhes esses miseráveis vencimentos, isso apesar de serem onerados com farta contribuição para explora- rem um negócio pouco rendoso e sempre sujeito a desagradáveis imprevistos, como seja os maus tempos que por vezes, inesperadamente, lhes cai sobre a praia. É in- compreensível, bastante mesmo, que não seja o Estado a pagar os vencimentos a es- ses esforçados salvadores da vida alheia.Afinal trata-se de uma actividade em prol da Sociedade, de seres humanos. Noutros países, e com conhecimento de causa, fa- lo de Espanha, França, Itália,etç. Todos esses espaços públicos estão vigiados e apoia- dos por vigilantes pagos pelas autoridades públicas. . É como os Bombeiros, uma vergonha! Mas há dinheiro ,muito dinheiro para outras coisas que não do interesse público. Pulhice autêntica de quem explora... - Nessa minha “aldeia” – considerada no País a 4ª de maior área , população e poder económico, também por lá existe esse pesadelo que se chama ‘estacionamento pago Só que com uma certa diferença que acho de realçar : há muito mais civilidade e simpatia para com o utente prevaricador. Não sei se têm conhecimento que os fiscais são portadores de uma espécie de computador onde consta a matrícula de quem já infrigiu e se não pagou a multa. Num caso de infração sem cadastro o fiscal não multa de imediato, apenas deixa na viatura esta simpática missiva : “ Caro utente, face à entrada eDesabafos...nas férias. ALDRABICES, VIGARICES, PULHICES E, . OUTRAS COISAS MAIS ACABADAS EM ICES. .. Todos os anos, invariavelmente, por esta altura, vou de visita à minha “aldeia “ , p’ra vindima e matança do porco .Quer dizer: colher os cachos apetitosos e suco- lentos das minhas recordações, quando menino, e matar as saudades do então. . Porque a viagem é um pouco longa, e como dias não são dias - afinal ia de férias – mesmo contra vontade lá fiz das tripas coração e meti-me a disfrutar a nossa Via do Infante em parte do percurso, ou seja, só até ao desvio para a nacional.Como sabem, não sei se sabem, esta Via cobra portagem ( gatunos!) cujo pagamento só se efectua passados uns dias nos CTT. Quando vamos proceder ao referido pagamento verifica- mos até que ponto se rouba impunemente neste País.É que, para além da taxa,o que por tal sinal é das mais caras em Portugal, ainda temos de pagar uma suplementar , neste caso de 0.30 centimos, e ninguém explica o porquê. . Sou duma terra onde também há praias, bastantes, e consideradas das mais lindas de Portugal dada sua extraordinária envolvência luxuriante e múltiplas reentrâncias na costa como de baías naturais. Fui a uma delas “molhar os pés “e como era dia de marés vivas -como por lá dizemos quando o mar cresce até muito acima do habitual, sobretudo nas praias com pouco declive o que pode ser algo perigoso já que uma va- ga rodada, no regresso ao mar pode arrastar os mais distraídos.Entrei em considera- ções com o nadador-salvador acerca disso que muito honestamente concordou em absoluto comigo. Falámos um pouco sobre outros assuntos e fiquei a saber - PAS- MEM !- que aqueles valente e denodados rapazes, que muitas vezes arriscam a vida (não é o primeiro que lá fica ...) para salvar a de outros que por vezes nem lhes dizem obrigado, recebem de vencimento uma ninharia pelo seu trabalho.Soldo que nem dá muitas vezes para pagar uma refeição.É incrível e... vergonhoso. Mas o mais estra-nho é terem de ser os concessionários das praias a pagarem-lhes esses miseráveis vencimentos, isso apesar de serem onerados com farta contribuição para explora- rem um negócio pouco rendoso e sempre sujeito a desagradáveis imprevistos, como seja os maus tempos que por vezes, inesperadamente, lhes cai sobre a praia. É in- compreensível, bastante mesmo, que não seja o Estado a pagar os vencimentos a es- ses esforçados salvadores da vida alheia.Afinal trata-se de uma actividade em prol da Sociedade, de seres humanos. Noutros países, e com conhecimento de causa, fa- lo de Espanha, França, Itália,etç. Todos esses espaços públicos estão vigiados e apoia- dos por vigilantes pagos pelas autoridades públicas. . É como os Bombeiros, uma vergonha! Mas há dinheiro ,muito dinheiro para outras coisas que não do interesse público. Pulhice autêntica de quem explora... - Nessa minha “aldeia” – considerada no País a 4ª de maior área , população e poder económico, também por lá existe esse pesadelo que se chama ‘estacionamento pago Só que com uma certa diferença que acho de realçar : há muito mais civilidade e simpatia para com o utente prevaricador. Não sei se têm conhecimento que os fiscais são portadores de uma espécie de computador onde consta a matrícula de quem já infrigiu e se não pagou a multa. Num caso de infração sem cadastro o fiscal não multa de imediato, apenas deixa na viatura esta simpática missiva : “ Caro utente, face à entrada em vigor do novo Regulamento de Estacionamento controla- do deste Concelho, o seu veículo encontra-se indevidamente estacionado, em infra- ção do Código da Estrada, estando sujeito a ser bloqueado e/ ou removido. Colabore connosco para a melhoria da reorganização do trânsito e futuramente, antes de abandonar o seu veículo, assegure-se de que o mesmo fica regularmente estacionado. . Tal e qual como cá, não acham ?! P

Sem comentários:

Enviar um comentário