quarta-feira, 12 de junho de 2013

 A DEMOCRACIA,O COLONIALISMO
                                                                  E AS ARMAS DE  " DEFESA "


         Alvíssaras aos grandes cérebros quq com a sua coragem e "desinteresse " lutaram pelos   
     povos oprimidos  ( pelo colonialismo português... ) , que hoje vivem felizes, longe da opressão,
     da guerra e da fome...


   Uns  -  que nós bem conhecemos  -  andam por aí pavoneando-se pela grande obra que conseguiram  -  os tais que venderam Portugal  -  promovendo a desejada independência as esses povos que viviam  na escravidão portuguesa. O pior é que, como consequência dessa  "libertação", ficaram escravos de outras gentes que mem sequer tinham algo a ver com as terras ligadas ao idioma português. Outros que se aproveitaram  disso mesmo e, traindo os seus irmãos de raça, têm vindo a explorar e calcar da forma mais desumana que se possa imaginar vivendo como nábabos.... O estranho ( ou talvez não ) é que os tais libertadores só se preocuparam com Angola, ( claro, os diamantes, o petróleo...) enquanto as outras províncias ficaram entregues â sua sorte campeando a miséria  até a guerra, como é o caso agora da Guiné.
  Dão-se ao luxo de investir milhões neste cantinho lusitano, que em tempos os  "explorava " e, não tarda nada, somos nós que estaremos debaixo das suas botas.
  Agola é cada vez mais forte na economia portuguesa pelo muito que já domina e o que ainda querem comprar: - BCP - BPI - Construtora do Tâmega -  COBA  - TOBIS - BPN - Jornal O SOL - ZON - IMPRENSA - COFINA - GALP , enfim tudo em que, para já, são amos e senhores não nos admirando nada que qualquer dia venhamos nós a ser - de facto - uma colónia de Angola... Agola que ao fim de tantos anos continua a clamar pela tal democracia que lhes foi prometida quando, está bem à vista, é uma ditadura a SÈRIO.
 As antigas províncias ultramarinas , após tanto sangue derramado por portugueses, quer escuros ( que o eram de direito ), militares ou inocentes civis que foram barbaramente chacinados e os que sobreviveram recambiados para a depauperada Pátria Mãe,  ESPOLIADOS até ao último centavo, só conseguiram com essa pseudo-independência  - para além de explorados por outros que não portugueses  -  viver quase na miséria, exceptuando Angola pelas razões já referidas, vivendo impunes sobretudo com a proteção interesseira de outras potências.  Maldito petróleo !
  E será que a pobre Guiné Bissau  ( como dizem por aí ) vai passar  a  falar " colombiano " ?


José Clarel

Sem comentários:

Enviar um comentário