domingo, 10 de março de 2013

O QUE NUNCA NOS DISSEMOS


Tanta coisa eu quisera lhe ter dito
nesta vida separados que estivemos
desde o dia em que me deu por interdito
p'ras palavras que nunca nos dissemos.

Agora só nós dois, e nada de permeio...
talvez possamos recordar tranquilamente
o quanto de amor faltou, e sei-o,
ser culpa doutras  coisas, d'outra gente...

Na vida devoramos iguarias,
prazeres loucos, sentidos, fantasias.
Mas depressa o frio mata esse calor.

O eterno, o que perdura é o amor
verdadeiro, e não o da carne tão  passageiro,
porque o do sangue fica sempre a  vida inteira

Sem comentários:

Enviar um comentário